100%

Pessoas carentes poderão receber sobras de material de construção

                 Foi aprovado na última sessão de maio na Câmara de Vereadores de Araranguá, um projeto de lei de autoria do vereador, Jacinto Dassoler, que prevê que restos de materiais de construção como cimento, areia, pisos, canos, madeira, brita, telhas, entre outros, sejam doados para pessoas carentes e entidades assistenciais através do município. O objetivo do projeto, é oportunizar a doação dos materiais por empresas e pessoas físicas que não farão mais uso, e também dar condições àquelas pessoas que não tem recursos financeiros e necessitam ampliar, reformar ou construir suas moradias.
A ideia central do projeto é fazer com que o município tenha um local apropriado para receber as doações dos materiais e de forma justa, através de um cadastro e todo um trabalho desenvolvido pela secretaria de Bem Estar e Habitação, encaminhar os produtos aos destinatários. “O mais importante é ajudar quem precisa e dar encaminhamento aos materiais que na maioria das vezes são descartados sem uso, como por exemplo, existem empresários que compram imóveis que são demolidos, e com este projeto, o material poderá ser reutilizado por quem é carente. Acredito que o prefeito vai sancionar a proposta”, comemorou o vereador.
 
Entenda a justificativa apresentada pelo vereador com o projeto:

“Incluso, remeto a apreciação desta Casa Legislativa, o projeto de Lei dispõe sobre o recebimento e depósito de sobras de materiais de construção para doação as pessoas carentes e entidades beneficentes ou habitacionais do município de Araranguá.
 Reconhecida como uma das mais importantes atividades ao desenvolvimento econômico e social, a construção civil é geradora de impactos ambientais, dado ao consumo de recursos naturais, modificação da paisagem ou despejo de resíduos. Assim, com o crescente movimento de novas edificações e empreendimentos imobiliários, tem-se, também, um intenso volume de materiais e entulhos, os quais, em muitas ocasiões, são depositados em locais impróprios.
Desta feita, considerando a oportunidade e necessidade da matéria, solicito a respectiva apreciação, na certeza que após o trâmite regular, será ao final deliberado e aprovado na forma regimental. Esse projeto, porquanto, caracteriza-se como forma real de responsabilidade social por parte do poder público em parceria com a sociedade organizada, propiciando o aproveitamento de materiais desperdiçados e proporcionando as famílias de baixa renda e entidades, previamente cadastradas, a possibilidade de reforma ou construção de sua casa própria com maior dignidade”.
Protocolos desta Publicação:Criado em: 29/05/2018 - 17:07:21 por: Morgana Costa Daniel Kindermann - Alterado em: 29/05/2018 - 17:07:21 por: Morgana Costa Daniel Kindermann

Notícias

Vereador sugere que município tenha fábrica de lajotas
Vereador sugere que município tenha fábrica de lajotas

Sob a alegação de que a medida reduziria custos com a contratação de empresas privadas para oferecer o material nas obras públicas, ele entende que a fábrica também poderia produzir blocos, e os materiais para a manutenção de bocas de lobo e meio fio

Câmara homenageia família Cândido Teixeira
Câmara homenageia família Cândido Teixeira

Foi aprovado o projeto de lei do vereador, João Abílio Pereira, que dá o nome de “Manoel Patrício Cândido Teixeira” para a Nova Unidade Básica de Saúde do bairro, Sanga Da Areia