100%
  FECHAR
  Câmara fecha o ano sem diárias para vereadores
                 Desde que a atual mesa diretora assumiu em janeiro de 2017, algumas medidas foram implementadas no sentido de economizar os recursos destinados a manutenção da Câmara Municipal de Araranguá. Com o objetivo de desmistificar a ideia de que dinheiro público é mal usado, várias idéias foram colocadas em prática e servido de exemplo para outras regiões do Estado.
No final de 2017, os números mostram uma economia inédita na casa, em torno de R$ 800 mil. Mas, para que isso fosse possível, durante todo o ano, nenhum vereador ou mesmo os servidores receberam diárias ou custeio de viagens e hospedagens. Outros benefícios incorporados no salário em outras legislaturas também foram cortados, diminuídos os contratos com empresas terceirizadas e ainda conscientizado os servidores a conter gastos menores, como, por exemplo, optar por cópias de documentos digitalizadas ao invés de impressas.
Segundo o presidente da casa, Daniel Viriato Afonso (PP), o projeto serviu para mostrar que é possível fazer bom uso dos recursos públicos e administrar a Câmara de acordo com o momento econômico recessivo que vive o país. “Precisávamos provar para as pessoas que temos responsabilidade e que existem políticos bem intencionados. No momento de crise que o Brasil tem enfrentado não tem cabimento agirmos de forma contrária”, declarou.
A ideia tem repercutido positivamente e diante da instabilidade política mostrada a outra face da moeda. Todos os 15 vereadores recepcionaram a decisão da melhor maneira e contribuíram com o projeto. “Espero que o corte de diárias sirva como medida para as próximas gestões. Nosso trabalho é colaborar com a população, não gastar demasiadamente. É possível buscar recursos com nossos deputados e lideranças políticas sem cobrar diárias e gastar com viagens, o importante é termos bons relacionamentos para isso”, completou o presidente, Daniel.
 
Onde vão os recursos economizados
 
Cerca de 7% das receitas tributárias municipais e algumas transferências constitucionais são destinadas ao Poder Legislativo. Até então, pouquíssimos presidentes da Câmara conseguiram devolver parte destes recursos para o Executivo, como é o caso da atual gestão.
Os valores que sobram, por imposição legal, retornam para a administração municipal que investe onde lhe convier, mas em parceria com o atual prefeito, Mariano Mazzuco, os recursos economizados pelos vereadores desta legislatura serviram para contribuir em determinadas áreas, como a Saúde no projeto para diminuir as filas de espera para exames, e também a Assistência Social, com contribuições para cinco entidades assistenciais da cidade. O Corpo de Bombeiros também foi contemplado com uma ambulância, a Polícia Civil ganhou uma viatura nova e a Militar igualmente com uma viatura nova. “A parceria com a Câmara foi muito importante neste ano para contemplar estas áreas indicadas por eles, e a economia feita pelos vereadores pode ser considerada um exemplo para a população”, elogiou o prefeito, Mariano Mazzuco. 
imprimir contato assessibilidade LAI
  • Adão Vieira dos Santos (PR)

  • Diego Rosa Pires (PDT)

  • Jair Arcenego Anastácio (PT)

  • Igor Batista Gomes (PV)

  • Luciano Zeferino Pires (PSB)

  • Ronaldo Soares (PMDB)

  • Jorge Luiz Pereira (PMDB)

  • Daniel Viriato Afonso (PP)

  • João Abílio Pereira (PRB)

  • Pedro Paulo de Souza (PSD)

  • José Marcio Scarsanella (PP)

  • Cristiano da Silva Costa (PP)

  • Jacinto Dassoler (PP)

  • José Paulo Roldão (PSDB)

  • José Carlos da Rosa (PPS)